FPF não recomenda que Athletiba aconteça com portões fechados; decisão fica com presidente do TJD

FPF não recomenda que Athletiba aconteça com portões fechados; decisão fica com presidente do TJD FPF não recomenda que Athletiba aconteça com portões fechados; decisão fica com presidente do TJD

A Federação Paranaense de Futebol (FPF) se manifestou favorável à realização do Athletiba, marcado para esta quarta-feira (30), com portões abertos na Arena da Baixada, em Curitiba. A federação foi intimada pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR) na noite desta terça-feira (29), após a Procuradoria protocolar uma medida inominada pedindo que o clássico acontecesse com portões fechados.

No ofício, a Federação não recomendou que a partida aconteça com portões fechados ou que a Arena da Baixada seja interditada. Além disso, disse não ver no regulamento a possibilidade de W.O. para um caso como este.

 Desta forma, a decisão fica por conta do presidente do TJD-PR, Adelson Batista de Souza.

A polêmica

A polêmica teve início após o Coritiba solicitar, na segunda-feira (28), que o Athletico Paranaense disponibilizasse ingressos para a torcida visitante. Uma medida liminar foi deferida pelo TJD-PR, ordenando que o CAP disponibilizasse uma carga de ingressos correspondente a 10% da capacidade do estádio, em cinco ponto físicos e também na internet, com local específico na arquibancada e sem restringir o uso de camisetas ou acessórios do Coritiba por parte dos torcedores.

O rubro-negro, porém, informou que os ingressos seriam vendidos como vouchers, somente pela internet, e em setores espalhados da Arena da Baixada. Além disso, os coxa-brancas não poderiam acessar o estádio com camisetas ou acessórios que fizessem alusão ao clube, mesmo que indiretamente.

Como os ingressos para a torcida coxa-branca não haviam sido colocados à venda até às 12h desta terça-feira, como a liminar determinava, a Procuradoria do TJD-PR protocolou uma medida inominada para que o clássico aconteça com portões fechados. O Coritiba, por sua vez, solicitou a interdição da Arena da Baixada e o WO da partida.

Ainda nesta terça-feira, o presidente do TJD-PR afirmou em despacho que o pedido de fechamento dos portões seria analisado após as 21h, caso o CAP não cumprisse a liminar, assim como as solicitações do Coritiba. Além disso, o presidente pediu para que a FPF se manifestasse, até às 13h30 de quarta-feira, sobre como iria proceder caso a partida aconteça com portões fechados ou se for decidido a interdição do estádio e aplicação do WO.

Colaboração Robson De Lazzari/Rede Massa