Atirador de massacre na Nova Zelândia provavelmente agiu sozinho, diz polícia

O tiroteio em massa de fiéis em mesquitas da Nova Zelândia está sendo considerado um ataque de um lobo solitário, depois que a polícia afirmou que duas pessoas que foram presas após o atentado não estavam envolvidas no crime.

O comissário de polícia da Nova Zelândia, Mike Bush, disse que as autoridades não estão 100% convencidas de que o australiano Brenton Harrison Tarrant - preso após os tiroteios e formalmente acusado de assassinato neste sábado - agiu sozinho. Mas afirmou que a polícia não acredita que um homem e uma mulher também presos na sexta-feira teriam qualquer envolvimento com o massacre.

O número de mortos no ataque subiu para 50, depois que a polícia encontrou mais corpo enquanto analisava as cenas do crime. Outras 36 vítimas estão hospitalizadas, duas delas estão em estado crítico.

Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press