Serra Segura: PRF detecta problema em 80,9% dos veículos de carga fiscalizados

Serra Segura: PRF detecta problema em 80,9% dos veículos de carga

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou a 15ª edição da Operação Serra Segura na região dos Campos Gerais, no Posto PRF Caetano. A ação aconteceu na terça-feira (16).

A operação é parte importante da estratégia da PRF para redução do número de acidentes envolvendo veículos de carga, uma vez que no balanço de acidentes do primeiro trimestre desse ano a PRF constatou que metade dos acidentes com óbito envolviam veículos de carga.

A operação, que tem como objetivo conscientizar os motoristas e proprietários sobre a importância da manutenção dos veículos e evitar que defeitos mecânicos possam ser a causa de acidentes, contou com a participação de PRFs da delegacia de Ponta Grossa e da Superintendência de Curitiba, num total de nove policiais.

Durante a abordagem, os policiais fazem a fiscalização do veículo, motorista, notas fiscais e carga, enquanto equipes de mecânicos da concessionária fazem uma inspeção em alguns itens de segurança como sistemas de freios, iluminação, sinalização, suspensão e direção, que, em caso de falhas podem causar acidentes graves. Enquanto isso, os motoristas e passageiros são convidados a assistir palestra sobre segurança no trânsito e passam por exames básicos de saúde.

O que chamou a atenção nessa edição foi o alto percentual de veículos com algum tipo de problema: 80,9%. Foram 86 veículos e 64 fiscalizados. Os principais problemas encontrados foram: sinalização (30,9%); extintor (28,6%); e pneus (26,2%). Dezessete CRLVs foram recolhidos para regularização dos problemas encontrados e três veículos ficaram retidos por comprometerem a segurança ou por problemas de documentação. Ao todo, 44 pessoas foram atingidas pela campanha educativa. Foram flagrados seis veículos com excesso de peso, totalizando 34,77 toneladas.

Ainda nessa edição foi abordado um veículo de carga transportando aproximadamente R$ 108 mil (aproximadamente US$28 mil) em peças de celular provenientes do Paraguai embarcadas com nota fria.

Colaboração PRF